Review: Protetor Solar Pet Society

Protetor Solar PetTenho duas gatas totalmente brancas: a Kitty e a Deedee. Embora elas adorem tomar sol, como todo gato, sempre me preocupo para que elas não fiquem expostas demais às radiações solares.

Gatos de pelagem clara, assim como pessoas claras, são sensíveis à radiação ultravioleta por não produzirem melanina suficiente (o que dá o tom bronzeado à pele).  Se o seu pet é branco, você deve ter cuidado redobrado com os raios solares, pois é comum gatos albinos desenvolverem câncer de pele nas orelhas ou no focinho devido à exposição excessiva ao sol. Para evitar isso, passe diariamente nessas partes protetor solar.

Por indicação do veterinário, comprei o protetor solar exclusivo para pets da Pet Society com fator de proteção 30. A embalagem é prática, fácil de abrir e fechar. É mais consistente do que os protetores solares comuns, pois tem uma cremosidade parecida com pasta de dente, o que facilita a aplicação. Tem o cheiro característico de protetor solar, mas é um pouco mais suave. O gosto amargo previne que os gatos tirem lambendo.

Embora as gatas continuem não gostando da experiência de ter esse negócio melequento nas orelhas, agora que moramos em uma casa que pega mais sol, passo diariamente protetor solar nas orelhinhas da Deedee e eventualmente na Kitty (a primeira tem acesso ao quintal cercado e a segunda praticamente não sai de dentro de casa).

Gatos de outras cores ou brancos mesclados também estão sujeitos a ter câncer de pele. Por isso, se você mora em uma região com alta incidência solar, protetor solar em todos.

Se o seu gato está com alguma feridinha na orelha ou no focinho que não sara, leve com urgência ao veterinário, pois pode ser câncer de pele e um tratamento precoce tem boas chances de sucesso.

Lembre-se: cuide bem de seu bichinho, comida e água não é tudo.

 

Dados do produto:

PROTETOR SOLAR FATOR 30 PET SOCIETY 50 GR

Benefícios: Possui o FPS 30 que protege a pele dos animais contra os efeitos nocivos das radiações UVA e UVB previne o aparecimento de lesões e doenças relacionadas à exposição solar excessiva. É de fácil absorção, resistente à água e possui sabor amargo para evitar sua remoção por lambedura. Dermatologicamente e oftalmologicamente testado.

Modo de Usar: 
– Aplicar uniformemente em todas as regiões que necessitam da proteção, 30 minutos antes da exposição ao sol. 
– Recomenda-se a reaplicação nos casos de exposição prolongada ao sol e à água.

Indicação: É indicado para animais albinos, despigmentados, de pele clara, com pouca cobertura de pilosa, especialmente nas sensíveis regiões do focinho e ponta de orelha. É resistente à água. O FPS 30 aumenta em 30 vezes a proteção natural das áreas expostas ao sol.

Composição: Cada 100ml contém – Dióxido de Titânio 3,00g, C12-15 Benzoato de Alquila 6,00g, Metoxinamato de Etilhexila 7,50g, Veículo q.s.p. 100ml. Contém Benzoato de Denatônio.

 

 

Usando Farinha de mandioca como substituta de areia sanitária

Farinha de MandiocaNo post Como escolher a melhor areia para seu gato, a Leila sugeriu utilizar farinha de mandioca crua da Yoki no lugar da areia para gatos. Achei a dica interessante e resolvi testar com meus gatinhos. Detalhe: tem que ser a farinha de mandioca crua fina da Yoki, outras não servem.

No mercado comum só encontrei pacotes de 500gr dessa farinha, a um preço médio de R$ 4.00. Como ela é pesada, ou seja, não tem muito volume, é preciso uns 3 kg no mínimo pra uma caixa de areia. Comprando saquinhos de 500 gramas seu custo será de R$ 24.00, ou seja, mais caro que a maioria das areias.

Então para utilizar com esse propósito só vale a pena comprando no atacado os pacotes maiores. Encontrei em um atacadista (Samsclub) o pacote de 5kg por R$ 11.67. Encontrando a farinha por esse valor a troca se torna interessante, pois um saco deve durar aproximadamente uns 20 dias para um ou dois gatos (trocando tudo e lavando a caixa a cada 10 dias).

Outra vantagem é que ela forma torrões bem firmes, o que facilita a limpeza. Nesse quesito ela é até melhor que a CatsBest, pois não há desperdício algum.

Os gatos aceitaram bem a farinha, achei que eles poderiam estranhar mas não, aceitaram muito bem a mudança.

Seria perfeita, se não fosse um pequeno problema: o cheiro de farinha azeda depois de alguns dias. Em casa temos duas caixas de areia, uma dentro de casa, na área de serviço, e uma fora, no quintal. Na caixa de fora a farinha de mandioca vai muito bem, os gatos usam, forma torrão, não faz muita bagunça.

Agora, na caixa que fica dentro de casa, não deu muito certo. Depois de uns 3 dias, a farinha começa a cheirar azedo. Aqui na minha cidade o clima é muito úmido, sempre por volta dos 80% a 90% de umidade. Acredito que a farinha absorva essa umidade e comece a estragar com o passar dos dias. Se saímos durante o dia inteiro e a casa fica quase toda fechada, o cheiro fica bem desagradável. Então é bom somente se você consegue deixar a caixinha em um lugar bem ventilado ou fora de casa.

Pontos positivos: econômica, biodegradável, forma torrão.

Pontos negativos: cheiro, peso.

Enfim, substituir a areia de gato tradicional por farinha de mandioca Yoki crua pode ser uma boa idéia, desde que você compre os sacos de 5 kg em atacadistas e coloque a caixinha do lado de fora de casa ou em área bem ventilada.

Posts relacionados:

Como escolher a melhor areia para seu gato.

Review: Micro Cristais de Sílica Chalesco.       

Gatos podem tomar leite?

É comum vermos imagens de gatos tomando leite e isso leva muitas pessoas a dar leite de vaca para seus gatos, o que não é nada bom para eles. Embora seja bonitinho ver gatinhos tomando leite, tem que ser o específico para gatos.

nomilkforcat

Então para ficar bem claro:

Gatinhos filhotes podem tomar leite? Depende! Gatinhos filhotes podem tomar leite específico para gatos. O ideal é que os gatinhos até o desmame consumam somente o leite de suas mães. Em casos extremos em que gatinhos ficam órfãos, deve ser dados a eles um preparado próprio para substituir o leite das gatas. Leite de vaca é bom somente para bezerros. Gatos são carnívoros, vacas são herbívoras, logicamente o que é bom para um, não pode ser bom para o outro. Leite de vaca não é bom para a gente também.

Gatos gostam de leite? Sim! Meu Dexter adora tomar um fundinho de leite que sobra dos pratos de cereais e dar umas lambidas na tampinha do iogurte. Da mesma forma como algumas pessoas gostam de fumar, gatos gostam, sim, de leite.

Gatos adultos podem tomar leite? Não! Embora gatos gostem eles não podem beber pois pode causar diarréia, desconforto abdominal, gases e desnutrição. Assim como os humanosgatos são intolerantes à lactose, sendo que alguns indivíduos são mais intolerantes do que outros. Eu tomo meu cereal com leite de aveia que faço em casa. Então quando o gatão vê a gente pegar o potinho azul de cereais ele já se posta na nossa frente com cara de pedinte esperando para ganhar um fundinho. Eu deixo só um pouquinho e ele dá umas lambidas e vai embora. O de aveia não faz tanto mal para ele, mas também não acrescenta nada de bom e o açúcar do cereal faz mal também, pois em excesso pode causar obesidade. Quando eu ainda tomava iogurte, Dexter ficava doido, quase não se aguentava de esperar pra ganhar um pouco.  E como iogurte não faz bem, nem pra mim nem pra ele, nós não tomamos mais.

Mas uma coisa é certa: assim como Dexter é doido por iogurte, também é doido por petiscos próprios para gatos. Então, entre um e outro, muito melhor optar por dar a ele petiscos deliciosos e saudáveis como o Greenies  e deixar leite e derivados para trás.

Fontes:

Aprenda a fazer leite de aveia em casa. 

Cuidados na alimentação de seu gato. 

Intolerância à lactose atinge até 70% dos adultos brasileiros.

Leite pode fazer mal para gatos. 

Sim! Leite Mata!

Aplicador de comprimidos e pill pocket – Como dar comprimido para seu pet

aplicadordecomprimidoNo post Como fazer o gato tomar o comprimido coloquei diversas dicas para facilitar a administração de comprimidos para seu pet. Além daquelas já informadas, quero mostrar como fazer um aplicador de comprimidos e o pill pocket, que facilitam o trabalho de fazer o bichinho tomar o comprimido. 

No mercado existem aplicadores prontos para serem comprados, tanto nacionais quanto importados. Quem tiver interesse, pode adquirir um diretamente da Macari Store.

Uma solução simples é você mesmo improvisar um aplicador de comprimidos em casa. Para fazer um aplicador de comprimido basta pegar uma seringa descartável pequena, com diâmetro próximo do tamanho do comprimido, e cortar a ponta final onde iria encaixada a agulha. Você vai ver que o êmbolo (a peça com a borrachinha na ponta) vai ficar maior que o tubo e ultrapassar a seringa quando empurrado. Para evitar isso você pode enrolar uma fita crepe aumentando o cabo, de forma a evitar que ele entre totalmente. O diâmetro da abertura tem que ser equivalente ao tamanho do comprimido.

Depois basta encaixar o comprimido na ponta, de forma que ele fique justo e não escape antes da aplicação. Segure a cabeça do gatinho e aperte as bochechas para abrir a boca. Quando ele abrir coloque o aplicador e empurre o comprimido dentro da garganta do gatinho e feche rapidamente. Exige prática e um pouco menos de coragem do que enfiar o comprimido e empurrar com o dedo (nessa eu sempre acabo mordida).

Esse aplicador caseiro tem como desvantagem o fato de que o diâmetro da seringa tem que ser muito próximo ao do diâmetro da pílula para não escapar e ele pode ficar cortante na ponta, assim, muito cuidado para não raspar na parte de dentro da boca do seu bichinho. Use para poucas vezes ou então como teste prévio e compre o aplicador de comprimidos mesmo, que não vai machucar e se adapta aos diversos tamanhos de comprimidos.

Mas, pode ser que você e seu pet não se adaptem a essa técnica, a minha Deedee, por exemplo, muitas vezes com o aplicador ela tem ânsia e vomita a pílula fora. Então algo bem menos traumático é fazer o bichinho tomar voluntariamente. Um produto especialmente desenvolvido para isso é o pill pocket (sem similar nacional). Tem para gatos e cães. São petiscos extremamente macios e maleáveis que já vem com uma abertura para você colocar o comprimido. Basta colocar o comprimido,  apertar a pontinha para selar ele dentro do petisco e servir para seu pet. É o que melhor funciona para o meu Dexter, pois o gatão não deixa eu colocar o aplicador de comprimidos de jeito nenhum. Eu divido ao meio cada pill pocket para ficar menorzinho, senão o gato fica mastigando e descarta o comprimido. Quando o gato não está nem um pouco a fim de comida, infelizmente esse método não funciona.

Então o jeito é ir testando com seu bichinho esses métodos e esses do post anterior e ir descobrindo o que mais funciona para vocês. Ainda, quem conhecer alguma outra técnica infalível para dar comprimido para os gatos por favor nos conte, aceitamos sugestões. 😉

 

 

Piometra – sintomas e castração preventiva

deedeeMinha Deedee estava com a barriguinha dura e com um pouco de corrimento na vulva parecendo sangue seco.  Esses sintomas podem indicar piometra, uma infecção no útero do animal cujo tratamento é a castração, sendo mais comum em cadelas do que em gatas.

Deedee vai fazer 10 anos em setembro de 2013 e não, ela não é castrada. Ok, ok, ok… eu sei que deveria tê-la castrado cedo pra nem correr o risco dela ter piometra e evitar filhotes e etc.  Me arrependo de não ter feito, mas, enfim, aconteceu. Sou humana: cometo erros. Por isso procuro não ser tão dura com aqueles que ainda estão trilhando o caminho, afinal, todos nós estamos.

Achava que tinha que esperar o primeiro cio da gata, o que hoje sei que é pura mentira perpetuada por aí. Nessa de esperar o primeiro cio, vieram Dexter, Ronrom e mais uma gatinha que doei (a única ninhada que ela teve mas sempre foi a mãezinha dos gatinhos que acolhi da rua). Depois esperei os filhotes dela crescerem e quando vi, a gata já estava com quatro anos e a castração já não seria mais tão simples pelo fator idade. Nunca dei injeção para minhas gatas, mas elas não tem acesso à rua.

Se isso acontece com pessoas que tem acesso à informação como eu, quem dirá o que não acontece por aí, por simples falta de conhecimento das pessoas. Conto a história da Deedee pois gostaria de alcançar mais pessoas para a necessidade da castração precoce de nossos queridos companheiros, principalmente para as gatas, pois é muito mais simples uma castração preventiva precoce do que uma por necessidade em virtude de desenvolvimento de piometra.

Castre seu pet o mais breve possível que isso fará com que tenha mais qualidade de vida. A idade ideal para isso pode ser a por volta dos quatro meses até os dois anos de idade. Não que a cirurgia não possa ser feita depois, mas há uma série de cuidados a ter depois disso, por exemplo, após os dois, três anos, a anestesia mais indicada é a inalatória e não a injetável. Na minha cidade  nenhum médico veterinário faz a anestesia inalatória, sendo necessário se deslocar até Curitiba ou outro centro, o que aumenta a dificuldade.  

Felizmente a Deedee só teve uma constipação intestinal e foi constatado pelo ultrassom que o aparelho reprodutivo dela está perfeito. Também não tem febre e está ativa com sempre. Estou tratando ela com o laxante, flotril e probiótico que o veterinário receitou. Está ótima e a cirurgia de castração para ela foi descartada por enquanto pelo fator idade e pelo risco da cirurgia.

Sempre bom lembrar: ok pesquisar na internet para saber mais, mas sempre leve seu animalzinho ao médico veterinário, pois ele é a pessoa que melhor pode cuidar de seu pet.

Assista no canal Petshop a entrevista com a Dr Lucia falando sobre piometra.